Última Edição
Janeiro/Março 2020
Janeiro/Março 2020

Literatura e Cultura

Livro mostra a situação de caminhoneiros diante do risco da Aids

  • A tese de doutorado da professora de enfermagem Evania Nascimento resultou, além do título de doutora, em um livro sobre a exposição de caminhoneiros de estrada ao vírus da Aids.

    Capa do livro.
    Capa do livro.

    Com longos anos de estudos sobre as DSTs (doenças sexualmente transmissíveis) e Aids através da Faculdade de Enfermagem e do Ambulatório-Escola da Fesp (Fundação de Ensino Superior de Passos), a professora Evania Nascimento lançou em 25 de setembro, na própria instituição em que trabalha, seu primeiro livro, “Aids – um estudo com caminhonheiros de estrada”, editora CRV, de Curitiba (PR), especializada em livros científicos. A obra é fruto de suas pesquisas feitas para o curso de doutorado em enfermagem psiquiátrica pela Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (USP), nos anos 90, e mostra como esses profissionais do setor de transportes lidam com a questão do sexo eventual de beira de estrada. 

    Segundo a autora, o assunto é tão delicado que alguns entrevistados tentaram esconder a verdade, seja por vergonha ou até mesmo receio de serem reconhecidos pela família, em caso de divulgação da pesquisa, embora seus nomes sejam mantidos sob sigilo. “Por se tratar o estudo de uma área que envolve falar sobre a sexualidade, ele inibe as pessoas, e expor certos fatos que são muito privados certamente cria muito receio”, disse.

    Nas 126 páginas do livro, Evania Nascimento investiga o comportamento dos entrevistados, que revelaram se incomodar com uma fama atribuída a eles, a de que seriam “pegadores de mulheres na estrada”. “Assim, a pesquisa tinha dois aspectos que eram, digamos, melindrosos: falar da sexualidade e abordar um tema carregado de significados que é a Aids. Alguns até perguntavam: ‘puxa vida, custam a lembrar da gente e quanto lembram é com isso? Como se a gente só pensasse em mulher na estrada? Só caminhoneiro pega mulher na estrada? Só caminhoneiro é risco? Temos tantas dificuldades, precisamos de ser vistos como gente!’ Percebe-se que não foi uma abordagem fácil. Eles se sentiam discriminados pelo foco em que a entrevista tinha que ser direcionada - sexualidade, Aids.”

    A autora e professora Evania Nascimento.
    A autora e professora Evania Nascimento.

    “Gostaria de ressaltar o respeito que tenho pelos caminhoneiros de estrada. Venho de uma família com várias pessoas exercendo essa profissão e sei das dificuldades e lutas pelas quais esses profissionais vivem e sobrevivem apesar de tudo”, disse Evania Nascimento.De acordo com a professora, o livro não encerra o assunto. Pelo contrário, ela espera que seja fonte para novas pesquisas envolvendo outros profissionais e observa que a partir de sua tese surgiram vários estudos focando os caminhoneiros, até mesmo o Ministério da Saúde despertou para as campanhas com esses profissionais da estrada. 

    © 2019 Foco Magazine. Todos os direitos resevados.