Última Edição
Jul / Ago 2019
Jul / Ago 2019

Assinatura Online

Recebe a última edição da
Foco Magazine no conforto
de seu endereço!

Confissões de Adolescentes

QUE MICO!!!

  •  

    .
    .

     

    “Ai, mãe, para de pagar mico!”. Quem nunca falou essa frase para a mãe ou para o pai, principalmente quando você está em público? Não tem jeito. Toda família (sem exceção de nenhuma) é hilária, de um jeito ou de outro. Alguém da sua família já te fez passar vergonha em público, tipo falando alto quando viu algo bonito ou coisa assim? A gente quer saber os foras que os “queridos” andaram cometendo e te mataram de vergonha...

     

     

    “Quando minha mãe vê um moço bonito na rua ela não pensa duas vezes e diz: ‘nossa, olha só que gatinho!!!’ Fico morta de vergonha, primeiro porque ela fala alto e segundo porque não para de encarar o rapaz. Os moços ficam até sem graça. É muita micagem!”, diz Karla, de 15 anos (nome fictício).

     

     

    “Família é família, né? Sempre mata a gente de vergonha. Uma vez, um primo meu, gatinho, esteve em casa durante a semana e minha mãe quase me matou de tanta vergonha contando pra ele os detalhes da nossa ida ao shopping em Ribeirão Preto. Detalhes que não precisavam ser contados, tipo “nossa, ela comprou um jeans lindo naquela loja, como se chama a loja mesmo, minha filha?” Juro que queria enfiar a cabeça num buraco e ficar lá eternamente”, recorda Amanda, de 15 anos (nome fictício).

     

     

    “Minha família paga mico direto. Minha mãe (sempre ela) tem o péssimo hábito de me apresentar para suas amigas. Apresentar tudo bem. O duro é quando ela exagera na dose falando das minhas qualidades, do quanto jogo bem, do quanto saio bem em matemática, etc. Isso me mata e me enche de nervos!”, explica Yuri, de 16 anos (nome fictício).

     

     “Minha mãe já me fez pagar micos enormes. Mas um dia sentei com ela e falei que não gostava de tais situações e ela nunca mais disse de novo. Acho que é uma questão de diálogo!”, acredita Taciana, de 16 anos (nome fictício).

     

     

    “Não gosto quando meu pai fica se exibindo para pessoas estranhas durante algumas festas. Meu pai é muito sem noção e não percebe que às vezes passa pelo ridículo querendo ser um rapazinho, dançando e se esbaldando na presença de um monte de gente. Tenho muita vergonha dessas cenas!”, revela Marcos Paulo, de 16 anos (nome fictício).

     

     

    Graciela Nasr

    © 2019 Foco Magazine. Todos os direitos resevados.