Última Edição
Janeiro/Março 2020
Janeiro/Março 2020

Turismo

Punta Cana - um paraíso no Caribe

  • Jovens passenses passam sete dias em Punta Cana, o principal destino de praia da República Dominicana, no Mar do Caribe; os atrativos são variadas opções de passeios durante o dia e até boate numa caverna à noite.

     

    Henrique Minchillo e Lívia Salermo  - passeio em Altos de Chavón.
    Henrique Minchillo e Lívia Salermo - passeio em Altos de Chavón.

     

    Situada numa região privilegiada pela natureza, o cristalino Mar do Caribe, a República Dominicana é um país paradisíaco formado numa ilha, dividida com o Haiti, e que tem um território de 48 mil km² e mais de 1,5 mil km de litoral. O país possui inúmeras atrações turísticas naturais e uma delas é Punta Cana, conjunto de 50 quilômetros de bem preservadas praias que atraem visitantes do mundo inteiro, principalmente casais em lua-de-mel e famílias que querem passar dias agradáveis num clima estável, com vistas para um mar de cor azul turquesa, belíssimos recifes de corais, passeios exóticos de barco – até mesmo em paisagens cinematográficas – e desfrutar das atrações artísticas e de entretenimento à noite.

    Punta Cana fica no leste da República Dominicana, a 205 quilômetros da capital Santo Domingo. Não se trata de uma cidade, mas de um conjunto de praias com toda infraestrutura que qualquer turista exigente quer para descansar e se divertir com segurança, higiene e, o melhor, sem pagar caro. Tudo isso é proporcionado pelos resorts, hotéis que oferecem o pacote chamado all-inclusive (ou tudo incluído), isto é, na estadia você está pagando também a comida e tudo que consumir em bebida. 

    “Nós queríamos um local tranquilo, para aproveitar o dia, porque a gente é, assim, mais saudável”, disse a empresária de confecções Lívia Salermo, que em abril passou sete dias em Punta Cana na companhia do marido, Henrique M. Minchillo Simão, empresário do ramo de veículos. Na mesma viagem foi também a irmã de Henrique, Cláudia Minchillo Simão e seu namorado Luiz Henrique Resende. “Cada praia é mais bonita que a outra”, conta Henrique.

    Essa foi a primeira viagem do casal ao Caribe e, antes de comprar as passagens, Lívia pesquisou informações sobre hospedagem, passeios, dentre outras, para fazer um turismo sem preocupações e com toda a segurança.

    A expectativa que o casal tinha sobre o lugar foi superada. “Eu até me surpreendi com o resort, com a estrutura. Você não imagina que é tão grande”, disse. Só de restaurantes, são dez, cada um com comida de uma nacionalidade – mexicana, italiana, japonesa e até brasileira, com churrasco e tudo. “À noite, para quem quiser, tem jantar à luz de velas na praia”, disse a empresária, que se hospedou no Barceló Bávaro Palace Deluxe. 

    Em Abril, Lívia, logo que chegou de viagem, postou em seu blog um texto e fotos para falar sobre a impressão que a ilha lhe causou: “Se o paraíso tivesse uma porta de entrada neste mundo, Punta Cana, na República Dominicana, seria uma forte candidata. O mar turquesa cristalino do Caribe é algo que deixa marcas no inconsciente, viu? Difícil de esquecer!!!”, escreveu.

    Na sequência, a jovem cita algumas das coisas que mais lhe chamaram a atenção: os charutos Don Carlo, que são uma tradição naquele país – maior produtor de tabaco do mundo. “E você pode ver o processo (de produção) ao vivo”. “O rum Brugal é um dos mais saborosos - ícone nacional...” “Músicas locais, o tempo todo merengue, rumba e salsa...”. “Os hotéis e resorts oferecem quase todos os tipos de comida – mexicana, italiana, americana... enfim, lá é a gringolândia, gente do mundo inteiro”, elogia a empresária, que se encantou com uma boate instalada dentro de uma caverna de estalactites. A caverna é preservada, mas tem todo o conforto para o visitante – iluminação, banheiros e o som é “com músicas típicas e danças ousadas”. 

    Lívia, Henrique, Cláudia e Luiz Henrique estiveram em localidades que se destacam entre as mais visitadas pelos turistas, como o complexo de luxo Cap Cana, frequentado por artistas internacionais e empresários milionários, como Julio Iglesias e Donald Trump; a Ilha dos Golfinhos, onde assistiram apresentações e até mergulharam com esses dóceis e inteligentes animais. Os casais também se divertiram nos tanques dos leões marinhos e dos tubarões lixa. Para Lívia, a praia de Cap Cana (Juanillo Beach) “é a melhor de todas”.

    As praias de areia branca são as que mais encantaram os visitantes e você já as encontra em frente aos hotéis. Mas se o turista quer explorar Punta Cana um pouco mais, basta contratar um pacote de passeios de barcos e conhecer outras ilhas dominicanas, como fizeram os dois casais. O preço, US$ 190 por pessoa, inclui mergulho com snorkel, bebidas, aperitivos, comida sofisticada (como lagosta, por exemplo), vinho e até a vodca Absolut.

    Um desses passeios é para a ilha de Saona, que foi cenário do filme “A Lagoa Azul”, sucesso de bilheteria nos cinemas do início dos anos 80 que contava a história de um casal de crianças náufragas que cresce no meio daquela beleza natural. Segundo Lívia, o lugar é tão bonito como aparece no filme. E os dominicanos têm um cuidado mais que especial com essa praia. Às 18h, ela é fechada e tudo que não é natural tem que ser retirado.

    “Você se surpreende pelo lugar. A areia é muito branca, o mar, as palmeiras espalhadas por toda a orla. Você se lembra do filme...”, conta Henrique.

    Luiz Henrique e Cláudia Minchillo posam em cenário de Punta Cana.
    Luiz Henrique e Cláudia Minchillo posam em cenário de Punta Cana.

     

    O jovem empresário também recorda do encanto que teve ao passear de barco em Altos de Chavón, outra área preservada, que para chegar lá é preciso navegar num rio de águas esverdeadas, o mesmo que serviu de locação para outras produções de cinema. “Nesse rio foi filmado o Rambo, Anaconda...”, recorda, explicando que o passeio dura cerca de uma hora e, além de contemplar a natureza, serve para relaxar, tomando drinques e ouvindo as típicas músicas caribenhas, salsa, rumba e o merengue.

    O ritmo caribenho, aliás, embala as danças locais, que levam o mesmo nome, incluindo a bachata, que é uma coreografia dominicana parecida com o merengue, só que um pouco mais lenta. Os protagonistas dessas manifestações culturais são dançarinos trajados com roupas típicas do Caribe e músicos com instrumentos populares, como os acordeões e os tambores, além das güiras (que são folclóricas). 

    Essa importância da música e dança é tanta que essas atrações estão na lista de opções de diversão dentro dos próprios resorts, assim como os restaurantes, o cassino e variados shows temáticos. “Tem um do Michael Jackson Cover, que é perfeito, e shows de pirofagia, malabarismo, luau...” contam Lívia e Henrique. “Eu achei muito legal. Tem que ir para conhecer aquela região, que é muito bonita”, disse o jovem. “Eu que morro de medo de avião, voltaria”, afirma Lívia.

    A moeda local é o peso dominicano, que vale 0,03 centavos de dólar. A maioria dos restaurantes cobra uma taxa de serviço de 10% e a gorjeta varia entre 5% e 10% do valor da conta. Segundo Lívia e Henrique, os funcionários dos hotéis e restaurantes já ficam satisfeitos com uma “la propina (gorjeta)” de US$ 1.

     

    Enio Modesto

    Cláudinha Minchillo em água transparente com estrelas-do-mar.
    Cláudia, Lívia e Henrique na IMAGINE (caverna-boate).
    As duas passenses se divertem num dos cenários paradisíacos do Caribe.
    Lívia e Cláudia com o mar turquesa ao fundo.
    O casal Henrique e Lívia brincando com golfinho.
    Henrique Minchillo e Lívia Salermo - passeio em Altos de Chavón.
    Luiz Henrique e Cláudia Minchillo posam em cenário de Punta Cana.
    Um dos sofisticados pratos com lagosta de Punta Cana.
    Vista de resort de Punta Cana; beleza e conforto encantou os turistas

    © 2019 Foco Magazine. Todos os direitos resevados.