Última Edição
Jul / Ago 2019
Jul / Ago 2019

Assinatura Online

Recebe a última edição da
Foco Magazine no conforto
de seu endereço!

Confissões de Adolescentes

Você é um (a) bom (a) PAQUERADOR (A)?

  • .
    .

     

    A arte de paquerar é tão antiga quanto o homem, embora os métodos tenham variado muito nos últimos dez mil anos. No passado, o homem primitivo arrastava a mulher pelo cabelo e enfiava-a na caverna para lá realizar suas práticas sexuais. Já pensou que horror? Hoje, no entanto, a sedução passa por atitudes mais sutis e discretas e podemos encontrar verdadeiros especialistas nesta arte da paquera. Mas e você, domina as regras do jogo quando o assunto é conquista? Qual é a sua tática nestas horas?

    “Mulher gosta de garotos com atitude, então eu chego chegando...rss. Acho que conversar de mansinho e elogiá-la é meio caminho andado. Pelo menos esta tática tem dado certo!”, opina Cássio, de 16 anos (nome fictício)
     

    “Invisto no olhar. Não paro de olhar para o garoto que estou afim. Não importa o lugar, o importante é fixar o olhar para ele perceber. É tipo um sinal. Aprendi isto numa revista e sempre dá certo!”, conta Karina, de 15 anos (nome fictício)

    “Sou péssima pra isso porque sou tímida demais. Pra falar a verdade, deixo o garoto chegar em mim e às vezes ele nem chega porque acho que não demonstro o interesse necessário”, confidencia Letícia, de 15 anos (nome fictício)
     

    “Ah, cada um tem um jeito de paquerar. Acho que depende muito de cada garota também. Se ela é mais extrovertida, tenho a liberdade de me soltar mais, agora se for mais tímida, vai ser mais difícil, tem todo um processo, que às vezes é cansativo porque demora demais. Mas se o garoto quiser, ele vai ter essa paciência!”, fala Iago, de 16 anos (nome fictício).
     

    “Costumo ficar bem bonzinho e faço favores, tipo dar carona, pagar as coisas pra menina, dar presentes, flores... Acho que não tem mulher que resiste!”, diz Rodrigo, de 16 anos (nome fictício)
     

    “Primeiro pesquiso tudo sobre a vida da menina, não tenho pressa! Depois que eu descobrir tudo o que ela gosta começo as investidas. Tipo, se ela gosta de assistir filmes, a convido para ir ao cinema, se ela gosta de nadar, um passeio no clube ou de preferência numa cachoeira, coisas deste tipo”, revela Ulisses, de 16 anos (nome fictício)

    “Sem dúvida a estratégia do olhar funciona e quase não tem erro, a não ser que o rapaz não esteja mesmo afim de mim. Fixar o olhar por mais de 5 minutos no garoto é infalível!”, diz Fernanda, de 16 anos (nome fictício).

     

     

    Graciela Nasr

    © 2019 Foco Magazine. Todos os direitos resevados.