Última Edição
Jul / Ago 2019
Jul / Ago 2019

Assinatura Online

Recebe a última edição da
Foco Magazine no conforto
de seu endereço!

Confissões de Adolescentes

Você sobrevive sem namorado (a)?

  • A história começa assim: você se sente só e perdida(o) sempre que está solteira(o). Parece que nada faz muito sentido, nem mesmo aquele barzinho bacana com as(os) amigas(os). Toda vez que assiste aquele comercial do Sonho de Valsa, você perde a cor, o brilho e o estômago embrulha. Por que será? Talvez seja porque você não consegue viver sem namorado(a)! Aliás, junho é o mês dedicado aos pombinhos e a gente quer saber. “Você sobrevive sem namorado(a)?” Se tem, imagine como seria a situação se não tivesse...

    “Ainda não encontrei a pessoa certa, por isso nunca namorei, mas estou sobrevivendo... Isso é bobagem, ninguém pode ser dependente de ninguém!”, afirma Amanda, de 16 anos (nome fictício).

    “Lógico que sim! Acho que essa queixa é mais feminina. A realidade é que tem muita mulher para pouco homem e os bons acabam se amarrando rápido, porque também não conseguem viver só. Daí vai sobrando os que não querem se amarrar, só curtir e com isso vem as reclamações...”, comenta Caio, de 16 anos (nome fictício).

    “Namorar é a coisa mais boa do mundo e quem dizer que não é bom, está mentindo. No fundo, quem está sozinha como eu, quer sim namorar, mas também não é tão simples assim. Não vou ficar com qualquer um só para prestar conta para a sociedade, quero alguém que me complete e por isso estou sozinha. Ainda não encontrei esse alguém. Mas juro! Não tenho pressa de arrumar também não!”, diz Melissa, de 15 anos (nome fictício).

    “Sobreviver, eu sobrevivo, mas gostaria sim de estar namorando! Não estou sozinha porque quero, e não é frescura. É que a gente tenta se enganar, fingir que não está nem aí por não ter namorado, mas quando vai chegando perto o Dia dos Namorados, com as vitrines cheias de corações, é um saco! Fico triste, chateada e muita insatisfeita”, confi dencia Laura, de 15 anos (nome fictício).

    “No momento estou namorando, mas sobrevivo numa boa. Para as meninas já percebi que é mais difícil, elas sentem muito mais. Sabe, é só uma opinião: acho que elas escolhem demais, se iludem com um príncipe encantado que vai fazer todos os seus desejos, mas príncipes encantados não existem! Sempre tem alguém querendo namorar, acho que independente de ser homem ou mulher, sempre tem alguém afim da gente, é só procurar!”, fala Érico, de 17 anos (nome fictício).

    “Que é chato não ter alguém, é! Mas a gente vai levando, um dia quem sabe encontro a minha princesa...”, declara Otto, de 16 anos (nome fictício).

    Graciela Nasr

    © 2019 Foco Magazine. Todos os direitos resevados.