Última Edição
Janeiro/Março 2020
Janeiro/Março 2020

Esporte e Saúde

DOPING TECNOLÓGICO

  • Marcelo Campos Machado
  • .

    O XXV Jogos Olímpicos de verão, Londres 2012 – de 27 de julho à 12 de agosto – será palco de disputas das grandes marcas esportivas mundiais; Adidas, Arena, Nike, Speedo, as quais fi zeram grandes investimentos no aperfeiçoamento dos materiais (roupas, tênis, maiôs e equipamentos) com a fi nalidade de que seus atletas não só consigam as medalhas olímpicas, mas “quebrem” os records . 

    Na ânsia de conquistar mais espaço neste concorrido mercado, a Nike - empresa norte americana - apresentou, neste mês de fevereiro, em Nova York, uma série de novos supertrajes para o atletismo. A roupa batizada Pro TurboSpeed é o uniforme de corrida mais leve e rápido que a empresa já produziu. Baseado em dados do túnel do vento, ela é até 0,023 segundos mais rápida nos 100m em relação ao modelo anterior. Feita de poliéster, cada modelo é confeccionado com aproximadamente 82% de material reciclado, usando uma média de 13 garrafas plásticas recicladas. O desenvolvimento do projeto contou com dados obtidos em mais de 1000 horas de testes em túneis de vento, como usados pelas equipes de Fórmula 1 para refi nar a parte aerodinâmica de seus carros. A Nike afi rma que é um ganho de 0s023 a cada 100 metros em relação aos uniformes anteriores.

    Este novo traje, ‘supermaiô’, será disponibilizado somente para os atletas das equipes de atletismo dos EUA, RÚSSIA, ALEMANHA e CHINA, países que tem contrato exclusivo com a empresa Nike. Não serão todos os atletas que poderão competir na mesma igualdade.

    Nos Jogos Olímpicos de Pequim, 2008, os nadadores utilizaram os “supermaiôs”, com um ganho de 94% em todas as competições, quebrando 23 records mundiais, mas à partir de 2009, a FINA (Federação Internacional de Natação) proibiu o uso destes “supermaiôs”.

    Realmente, estes “supermaiôs”, farão diferença nas provas rápidas de atletismo?

    Usain Bolt, atleta mais rápido do mundo, será superado por atletas que estarão com estes trajes?

    Estas respostas saberemos nas Olimpíadas de Londres daqui a 2 meses.

    O Desporto moderno deixou de ser uma manifestação de natureza pessoal e cultural e assume a condição de negócio, movimentando cifras bilionárias e mobilizando expressivos segmentos da população mundial. Os números chegam a 4 bilhões de pessoas que assistiram aos Jogos Olímpicos de Atenas em 2004, e a impressionante marca de 4,7 bilhões nas Olimpíadas de Pequim em 2008, tendo sido os mais vistos da história olímpica.

    por Marcelo Campos Machado

    © 2019 Foco Magazine. Todos os direitos resevados.