Última Edição
Janeiro/Março 2020
Janeiro/Março 2020

Clube da Foquinha

Carolina Braz Cassoli - 7 anos

  •  

    .

    Mãe: Vanessa Braz Cassoli

    Pai: Marcelo Maldonado Cassoli

    Avós Marternos: Amilton Braz e Neura Fátima Sales Penha

    Avós Paternos: Eduardo Cassoli e Silvia Inês Maldonado Cassoli

    Nascimento: 19 de outubro de 2004

    O que você gostaria de ser quando crescer? Estilista

    Um lugar que desejo muito conhecer: China

     
    POEMAZINHO
     
    Um dia a felicidade
    À minha porta bateu
    Mas nunca me tendo
    Passou, não me conheceu.
     
    Não é por andar com livros
    Que a gente vira doutor:
    As traças vivem com eles
    E não os sabem de cor.
     
    Você diz que sabe muito
    Borboleta sabe mais
    Anda com os pés pra cima
    Coisa que você não faz.
     
    Você diz que bala mata,
    Bala não mata ninguém
    A bala que mais me mata
    São os olhos do meu Bem.
     
    Não tenho medo do Homem
    Nem do ronco que ele tem
    O besouro também ronca
    Vai se ver não é ninguém.
     
    .

     

    A GALINHA PEQUETINHA
     
    No terreiro da fazendinha, em meio a outras galinhas, vivia uma franguinha, charmosa e bonitinha. A menininha da dona da fazendinha se encantou pela franguinha e a chamou de Pequetinha. A menina não tinha amiguinhas, brincava com a Pequetinha e a levou para dentro de casa.
     
    Colocava na cabecinha de Pequetinha, um lacinho de fitinha, e a franguinha foi crescendo e se tornou uma linda galinha. Pequetinha era vaidosa, desprezava as outras galinhas.
     
    Mas, como toda história tem um MAS, um dia a menininha cresceu, ficou mocinha e foi para a cidade estudar. Coitadinha da Pequetinha, teve que, no terreiro, junto de outras galinhas, ir agora morar.
     
    De repente um escândalo, Pequetinha se pôs a gritar:
     
    - Socorro, uma cobra, venham aqui me ajudar! As outras galinhas mal se importaram pois era só uma minhoca, e para o papo a passaram.
     
    Num outro dia a Pequetinha aprontou a maior gritaria: - Que horror, venham ver, botei um ovo sem querer! A galinhada do terreiro puseram-se a gritar:
     
    - Botou ovo, cocota! -Ela botou ovo, cocota!
     
    E agora, todos os dias, a vaidosa galinha, vai ao ninho, bota um ovo e se põe a gritar: _Botei ovo, cocota, botei ovo, cocota! E as outras galinhas repetem a mesma frase ao mesmo tempo e é aquela gritaria!
     
    Tanto barulho por causa de um ovo, mas é que não é qualquer ovo, é o ovo da Pequetinha!
     
    RECEITAS DA VOVÓ
     
    REFOGADO MINEIRO
     
    Nesses tempos  de milho verde, iguarias é o que não faltam. Além das tradicionais pamonhas, cural, bolo, purê, você pode fazer esse delicioso refogado.
     
    Modo de fazer:
     
    Descasque 4 ou 5 espigas de milho, não muito duro, retire os cabelinhos, corte-o como se fora para pamonha e reserve. Frite um pedaço de linguiça, corte-o em pedacinhos bem pequenos.
     
    Coloque em uma panela, uma colher de manteiga, refogue o milho, ponha uma pitadinha de sal, cheiro verde à vontade, pimenta vermelha (se gostar), cebola. Refogue bem, junte a linguiça e sirva com arroz branco e outros alimentos.
     
    Esse refogado pode também resultar em uma farofa: quebre dois ovos em um pouquinho de óleo, misture, jogue um pouco do refogado e misture farinha de milho ou mandioca.
     
    .

     

    Hilda Mendonça - Escritora
     

    © 2019 Foco Magazine. Todos os direitos resevados.