Última Edição
Janeiro/Março 2020
Janeiro/Março 2020

Turismo

Do Sul da Holanda até a neve branca e o frio congelante dos Alpes Franceses

  • Laerte Francisco Rodrigues Junior, 28 anos, empresário de Passos, fala de sua viagem de um mês, que começa no sul da Holanda, dos inesquecíveis e enormes canecões de cerveja; até os “tombos” para aprender esquiar na neve branca e gelada da estação de esqui em Megève - cidade conhecida pela quantidade e variedade de pistas de esqui.

    O empresário passense, conta em detalhes sua aventura em terras estrangeiras.

    Sua viagem começou na cidade de Rejie, situada no sul da Holanda entre as cidades de Breda e Tilburg conhecidas por ser sede do exército holandês. “Minha irmã mora na Holanda, então fi cou mais fácil e mais barato aproveitar cada minuto da viagem”, lembra Laerte.

    De acordo com Laerte os países baixos, como é conhecida mundialmente a Holanda, é um país de fácil locomoção. Existem trens e metrôs que cortam o país inteiro, ficando mais fácil a mobilidade. “Indico aos turistas que forem para esta região, pagar o pacote para visitar as cidades com o percurso de trem pois tem guias e você não perde tempo procurando os lugares, já chega no ponto e lugar desejado sem perder tempo”, informa.

    Foi uma semana no sul holandês, onde conheceu alguns centros comerciais mais importantes da Europa, como: Breda, Tilburg, Ultrech, Amsterdã, Rotterdã, Maastricht e Rosendal. Existe nestas cidades o maior outlet (loja de varejo que trabalha com ponta de estoque, o que permite a ela vender a preços reduzidos) de grandes marcas da Europa.

    “Fiquei impressionado com as lojas, é muito lindo, não consigo explicar em detalhes a grandeza das vitrines e das lojas daquela região, é tudo muito bonito e elegante”, recorda Laerte.

    Na segunda semana de viagem começou a escalada aos Alpes Franceses. Saiu da Holanda de carro, passou em Malterdingen, na Alemanha e seguiu viagem com destino a Cordon na região de Combloux, na França. “Foram doze horas de viagem apreciando a magnífi ca paisagem, o que deixou o passeio muito agradável.”

    A região de Combloux é conhecida como uma popular estância de esqui e com a economia voltada para a agricultura. Segundo Laerte os chalés de madeira é a melhor opção para os turistas que desejam visitar a região. “Combloux possui uma localização bonita, com uma visão perfeita e maravilhosa do Mont-Blanc.”

    O turista prosseguiu viagem até Chamonix - quarta maior metrópole da França, para sentir a experiência de subir a montanha que fi ca a 4.810 metros de altura – o Mont-Blanc (monte branco - é o terceiro monte mais visitado do mundo). A cidade de Chamonix é famosa por ser sede do teleférico francês que dá acesso ao Aiguille Du Midi (ponto mais alto do mundo com acesso ao turista). “Uma paisagem inesquecível com o branco da neve encontrando com o céu”. Segundo Laerte, o alpe Aiguille Du Midi possibilita uma visão majestosa dos três países que o circula: França, Suíça e Itália.

    Mas o objetivo principal de Laerte nesta viagem era aprender a esquiar. Por isso chegou em Megève, onde teve início a sua maior aventura – esquiar nas montanhas mais altas e numa das melhores pistas de esqui na Europa.

    O município de Megève possui uma área de esqui dos alpes que abrange cerca de oito quilômetro quadrados, são cento e onze elevadores de acesso a duzentas e dezenove pistas de esqui. Já a cidade é parque de uma imensa beleza e arquitetura rústica, magnífi ca e aconchegante, cheia de encantos. “Parece uma cidade de bonecas.”

    Foi em Megève que começou a batalha de Laerte contra os “tombos” que causavam muitas dores musculares. “Mas persisti até sentir aquele vento gelado sobre o meu rosto, meus pés fi rmes no esqui, escorregando pela neve branca que cobre os picos das montanhas.”

    Laerte lembra dos tombos que sofreu até conseguir esquiar livremente. Aconselha os futuros aprendizes do esporte que a persistência é a melhor forma de aprender. “Dá vontade de desistir, porque no segundo dia, você está com o corpo todo dolorido. Mas o meu objetivo era muito maior do que qualquer tombo e dor muscular”, lembra.

    A região é exuberante e permite várias atrações sempre em contato com a natureza, seja no inverno ou no verão. A melhor época para praticar o esqui é de dezembro a abril (inverno).

    Tatiana Batista

    Laerte e seu cunhado Guido, em Rejie no sul da Holanda.
    Caminhada no Aiguille du Midi.
    Vista da casa em Cordon (Região de Combloux).
    Vista da França a partir do Pico Aiguille du Midi.
    Vista da Itália a partir do Aiguille du Midi.
    Patins no gelo - Megève.
    Amsterdã - Holanda.
    Laerte e sua irmã Joanny no Pico de la Princesa (Megève).
    Túnel de gelo no Aiguille du Midi.
    Vista da região de Combloux partindo do Pico de la Princesa.

    © 2019 Foco Magazine. Todos os direitos resevados.