Última Edição
Janeiro/Março 2020
Janeiro/Março 2020

Saúde

TENDINITE Prevenção e Cuidados

  • Especialista em Ortopedia e Traumatologia Dr. Flávio Ferreira: “O paciente deve estar ciente dos motivos pelos quais desenvolveu a tendinite para evitar sua recidiva. Usar o bom senso, equilibrando o trabalho manual com períodos de repouso, e manter uma vida saudável com bom condicionamento físico, disposição e saúde mental é a receita para o bom desempenho nas atividades diárias, de lazer e profissional.”
    Especialista em Ortopedia e Traumatologia Dr. Flávio Ferreira: “O paciente deve estar ciente dos motivos pelos quais desenvolveu a tendinite para evitar sua recidiva. Usar o bom senso, equilibrando o trabalho manual com períodos de repouso, e manter uma vida saudável com bom condicionamento físico, disposição e saúde mental é a receita para o bom desempenho nas atividades diárias, de lazer e profissional.”

    Tendinite é uma doença que ocorre em indivíduos de meia-idade e em idosos, quando os tendões apresentam maior propensão às lesões, no entanto, também é comum ocorrer em indivíduos jovens que se exercitam vigorosamente e em indivíduos que executam tarefas repetitivas. Determinados tendões, especialmente aqueles das mãos, são particularmente propensos à inflamação.

    Para explicar o que é a tendinite, Dr. Flávio Ferreira, especialista em Ortopedia e Traumatologia, primeiramente orienta os leitores a entenderem o que são e como funcionam os tendões no corpo humano.

    Os tendões são espessas cordas fibrosas formadas de colágeno (substâncias protéicas das fi bras) que conectam o músculo (tanto em sua origem quanto na sua inserção) aos ossos. Tem como função transmitir a força do músculo ao osso e a outros tecidos conjuntivos como pele e ligamentos, em que eles estejam inseridos.

    Portanto, essa doença pode ser defi - nida como um processo infl amatório que agride o tendão.

    Dr. Flávio explica que no corpo humano existem vários tendões, porém a doença se manifesta com maior frequência nos ombros, antebraços, punhos, mãos, Tendinite é uma doença que ocorre em indivíduos de meia-idade e em idosos, quando os tendões apresentam maior propensão às lesões, no entanto, também é comum ocorrer em indivíduos jovens que se exercitam vigorosamente e em indivíduos que executam tarefas repetitivas. Determinados tendões, especialmente aqueles das mãos, são particularmente propensos à infl amação. quadris, joelhos, tornozelos e pés.

    Sintoma, manifestação e diagnóstico da doença

    Geralmente, os tendões infl amados podem causar dor ao serem movimentados ou palpados. A movimentação das articulações próximas ao tendão, mesmo quando o movimento é de pequena amplitude, pode causar dor intensa.

    Conforme o especialista, as bainhas de tendões podem estar visivelmente edemaciadas (inchadas) em decorrência do acúmulo de líquido e da infl amação, ou podem até mesmo secar, produzindo atrito contra os tendões e causando uma sensação perceptível de crepitação na palpação ou um som audível com o auxílio de um estetoscópio quando a articulação ou segmento é movimentado.

    Tendinite no Tendão de Aquiles.
    Tendinite no Tendão de Aquiles.

    O médico explica que o diagnóstico basicamente se traduz em dor para o paciente, principalmente quando ele tenta movimentar uma articulação exigindo ação do tendão afetado. “Pode ocorrer também o edema, ficando muitas vezes os tendões visíveis sob a pele em forma de cordões avermelhados e dolorosos, quando se trata de tendões superfi ciais.”

    Para o médico o mais importante para o diagnóstico da tendinite, é a história médica cuidadosamente relatada pelo paciente e principalmente um exame físico bem realizado. “Somente assim podemos avaliar a real condição do paciente e planejar um tratamento específi co”, explica.

    As radiografias, de acordo com o especialista, podem ser úteis para excluir anormalidades ósseas, pois os tendões não são visíveis nas mesmas. Em alguns casos, nas tendinites calcáreas, pode ser observado o depósito de cálcio na localização do tendão.

    Dr. Flávio ressalta que o uso da ultra- sonografi a e da ressonância nuclear magnética são importantes aliados na defi nição do local e grau da lesão em alguns casos específicos.

    Causas

    O especialista fala que a tendinite pode ser o resultado de inúmeras doenças de ordem reumatológica, infecciosa, metabólica ou tumoral, porém as causas mais comuns de tendinite são o trauma local, ou o “over use” (excesso) particularmente quando o paciente realiza um esforço maior que suas possibilidades reais (em atividades no trabalho, realização de exercícios físicos ou lazer), a repetição exagerada de um mesmo movimento com ou sem resistência e a má postura. Ocasionalmente uma infecção próxima ao tendão pode ser responsável pela inflamação.

    Vale ressaltar que o processo degenerativo dos tendões em função das causas citadas poderá comprometer ou inviabilizar a prática de atividades habituais.

    Tratamento

    O tratamento deve ser orientado e acompanhado por um profi ssional da área e tem como objetivo aliviar os sintomas, eliminar a infl amação e permitir que o tendão afetado recupere o seu normal funcionamento.

    O especialista disse que a principal medida terapêutica é o repouso do tendão afetado, normalmente durante algumas semanas. “Embora possa ser um repouso relativo, por vezes, recomendase o repouso absoluto, que pode ser realizado pela colocação de órtese, talas ou gesso, de modo a imobilizar o segmento corporal afetado.”

    No caso de dor e inflamação intensas, deve-se proceder à administração de analgésicos e anti-infl amatórios. Em algumas situações específicas é indicado a realização de infiltrações através de injeções nas zonas próximas do tecido afetado. Além disso, caso se detecte a presença de um processo infeccioso, deve ser administrado os antibióticos adequados.

    A realização de fisioterapia é igualmente importante, de modo a garantir uma pronta e completa recuperação.

    Tendinite no Extensor, pode causar a impotência de movimentos das mãos.
    Tendinite no Extensor, pode causar a impotência de movimentos das mãos.

    Precauções:

    - Aquecimento utilizando a musculatura que irá ser forçada em um exercício mais intenso;

    - O aumento gradual do nível de exercícios, sem sobrecarga da região envolvida;

    - Cuidado com a dor. A expressão “no pain no gain” (“sem dor, sem ganho”) é incorreta. A dor é um aviso do corpo alertando que algo não está bem encaminhado;

    - Se sua lesão parece estar relacionada à má técnica, peça orientação a seu treinador.

    - Usar calçados adequados para realização de práticas esportivas como atletismo, futebol, tênis, vôlei ou basquetebol.

    - Caso não seja possível evitar movimentos repetitivos, principalmente em relação às atividades laborais, realize pausas na rotina por alguns minutos, com execução correta de exercícios de alongamentos para a boa manutenção do corpo.

    - Se possível, evite atividades que requeiram períodos prolongados dos braços acima da cabeça, como pintar o teto ou arrumar um armário alto.

    Tatiana Batista

    © 2019 Foco Magazine. Todos os direitos resevados.