ltima Edio
Janeiro/Março 2020
Janeiro/Março 2020

Saúde

Além da dor

  • Dor difusa por mais de três meses, sono inquieto, cansaço, perda de energia são alguns dos sintomas da Fibromialgia, síndrome dolorosa crônica na qual o paciente apresenta múltiplos pontos dolorosos ao longo do corpo. O tratamento multidisciplinar inclui medicação e terapias. A morfoanálise, por ser uma terapia psicocorporal que trabalha com a postura, alongamentos e massagens, desbloqueando tensões físicas e psíquicas, tem conquistado bons resultados.

    A psicóloga e terapeuta morfoanalista Chênia Le Sénéchal Maia Arrouk: “A dor é o sintoma que está escancarado nesta síndrome.”
    A psicóloga e terapeuta morfoanalista Chênia Le Sénéchal Maia Arrouk: “A dor é o sintoma que está escancarado nesta síndrome.”

    A fibromialgia pode ser desencadeada por vários fatores, entre eles uma infecção viral ou bacteriana, acidentes, problemas emocionais que envolvam perdas ou conflitos, traços da personalidade como o perfeccionismo ou a rigidez, na manifestação do comportamento. De uma maneira geral, o paciente apresenta dor constante e difusa ao longo do corpo por mais de três meses, sem apresentar processo infl amatório. Embora a procura pelo médico possa ser imediata, o diagnóstico pode não ser tão preciso, inicialmente.

    Como não existem exames clínicos que constatem a doença, que atinge músculos, tendões e ligamentos, podendo prejudicar a qualidade de vida e o desempenho profi ssional, a experiência clínica é importantíssima para o diagnóstico correto. A patologia tem despertado o interesse da classe médica desde a década de 80 e, consequentemente, cresce o número de pesquisas, embora ainda não seja possível detectar a causa, nem a cura.

    A síndrome dolorosa é um acometimento musculoesquelético não articular. Os critérios de diagnóstico foram estabelecidos pelo Colegiado Americano de Reumatologia, em 1.990. O tratamento exige do paciente disciplina através da prática de exercícios físicos de baixo impacto, relaxamento, hábitos saudáveis e medicamentos; além da medicação, a terapia é importante para o controle da dor crônica e diminuição das crises.

    Características

    As pesquisas mostram que os fibromiálgicos têm menos serotonina (neuro-transmissor que regula a sensação de dor) e apresentam um distúrbio que encurta a fase do sono profundo e impede que o corpo descanse. Em decorrência desse estresse físico, os portadores da fibromialgia entram num círculo vicioso que atinge o emocional gerando mais ansiedade, irritação, cansaço e depressão.

    .

    Os pontos dolorosos apresentados ao longo do corpo dos pacientes são extremamente sensíveis ao toque e conhecidos como “tender points”. São 18 pontos de dor difusa, dos quais 11 apresentam sensibilidade à dor.

    As dores variam de intensidade, em relação a diversos fatores: pontos afetados; crise; condições do clima; do equilíbrio hormonal nas mulheres; do estado psico-emocional. Podem variar desde uma simples sensação dolorosa até níveis insuportáveis ao toque, ao movimento, ou também com o corpo inerte. A dor pode se prolongar por horas, dias, meses ou permanentemente, em áreas diversas ou localizadas.

    Terapia

    A terapia morfoanalítica por trabalhar o corpo e a mente, cuidando do físico e do emocional ao mesmo tempo, tem sido uma das indicações para o tratamento da fibromialgia. Segundo a psicóloga e terapeuta morfoanalista Chênia Le Sénéchal Maia Arrouk, a dor é o sintoma que está escancarado nesta síndrome. “Com as técnicas corporais que utilizamos ajudamos no alívio da dor, mas é preciso ultrapassar essa dor e compreender o que está além dela, qual o sofrimento que ela comunica”, afirmou. “Penso que o quadro da fibromialgia fala, na verdade, de um círculo vicioso, no qual para se proteger de sentimentos dolorosos a pessoa gera tensões físicas para não entrar em contato com seu sofrimento. Para isso vai precisar de muitas defesas para não sentir, fazendo mais tensões, que gerarão mais dores”, relata Chênia.

    .

    Ainda segundo a psicóloga essa dor precisa ser compreendida como um recurso, uma forma de comunicação que grita para ser decifrada. “A terapia ajuda o paciente a desenvolver a capacidade de entrar em contato com o sofrimento ao invés de transformá-lo em dor. Geralmente, o paciente chega com queixas físicas e emocionais e na terapia morfoanalítica podemos trabalhar as duas ao mesmo tempo, ajudando o paciente na percepção dessa relação dos seus sentimentos com seu corpo, e vice-versa. Assim, o sofrimento pode ser representado e as dores podem ter um fim”, concluiu.

    A morfoanálise através de trabalhos posturais, massagens, respiração e alongamentos, desfaz não só as tensões físicas como trabalha os bloqueios psíquicos associados a essas tensões. No tratamento de pacientes fibromiálgicos, à medida em que se cuida dos danos emocionais provocados pela doença e se relaciona às causas psíquicas das dores no corpo, os processos crônicos da doença (desta síndrome) são reduzidos e amenizados.

    Sintomas

    - Dor difusa por mais de três meses
    - Sono inquieto e não restaurador
    - Cansaço, perda da energia
    - Cólon irritado e outras disfunções intestinais
    - Formigamento e dormência nos braços, pernas e, sobretudo, nas mãos e nos pés.
    - Depressão e ansiedade
    - Cefaléia
    - Sensação de inchaço nas articulações
    - Rigidez muscular

    Maior incidência

    - Mulheres na menopausa
    - Pessoas submetidas a estresse físico e emocional
    - Sedentários

    © 2019 Foco Magazine. Todos os direitos resevados.