ltima Edio
Janeiro/Março 2020
Janeiro/Março 2020

Turismo

Turismo pelo mundo

  • .

     

    Quando criança ela sempre sonhou em viajar pelo mundo, conhecer a história dos povos, a geografia dos lugares, a diversidade das culturas e afirmava: “quando crescer quero viver essa experiência”. No entanto, imaginava que o seu sonho era impossível até que seus pais ajudaram-na a realizar a sua primeira viagem internacional, aos 21 anos. De lá até os dias atuais não parou mais. Hoje, viaja com a família pelo menos uma vez ao ano.

    Eduardo Funchal, Maria Eduarda, Victor Hugo e Vanessa em Viña Del Mar no Chile - Local que recentemente foi destruído por Tsunami, agora totalmente reconstruído.
    Eduardo Funchal, Maria Eduarda, Victor Hugo e Vanessa em Viña Del Mar no Chile - Local que recentemente foi destruído por Tsunami, agora totalmente reconstruído.

    Vanessa Pimenta Bernardez Funchal Cintra é professora de inglês no Ensino Fundamental,
    Médio e Pré-vestibular. Ela aproveita as suas viagens para melhorar cada vez mais a conversação e, no retorno às salas de aula, mostra a diversidade da linguagem aos seus alunos. Dessa forma une prazer e trabalho.

    Na sua primeira viagem o destino foi Nova York, onde fez curso de didática em língua inglesa. Essa experiência abriu as portas para o mundo e deu-lhe a experiência para buscar novos roteiros turísticos. Viu que era possível viajar, sem custos exorbitantes, e não parou mais. Anos depois a sua paixão acabou contagiando a família, Eduardo seu marido, e os filhos Maria Eduarda e Victor Hugo.

    Na primeira fase de viagens internacionais Vanessa optou pela sua formação. Nessa segunda fase, que realiza com a família, o foco é o conhecimento das culturas. Com a família já conheceu a Espanha, França, Alemanha, República Tcheca, Eslováquia, Hungria, Áustria, Suíça, Estados Unidos, Inglaterra, Holanda, Bélgica, Itália, Alemanha, Luxemburgo, Paraguai, Argentina e Chile.

    Vanessa faz um roteiro diferenciado das agências. Ela faz escolhas muito além dos pontos turísticos e procura interagir com a comunidade local, conhecer os nativos, a gastronomia, o mercado. Interagindo com a rotina das cidades acaba, a cada viagem, conhecendo a linguagem típica, o que carrega para as salas de aula.

    Para buscar essa interação com a comunidade local é preciso viver a rotina das cidades, conhecer feiras, supermercados, padarias, vivenciar as atividades de cidadãos comuns.

    Victor Hugo e Maria Eduarda em Frutillar - Início da Patagônia Chilena - Cidade de colonização alemã.
    Victor Hugo e Maria Eduarda em Frutillar - Início da Patagônia Chilena - Cidade de colonização alemã.

    Planejamento

    Para viver a rotina em um país diferente é preciso fazer um verdadeiro planejamento. São três meses de organização. A escolha de hotéis é o primeiro passo, o que implica na boa localização, próximo a estação de metrô e ponto de ônibus. A busca pelas peculiaridades de cada cidade é outra parte do processo de organização. Padarias, mercearias, supermercados devem estar próximos do hotel.

    No local, a família procura viver uma rotina. Preparam as refeições no hotel que tem cozinha a disposição ou optam por congelados. Se houver lavadora disponível também cuidam de suas próprias roupas.

    Conhecer os mercados municipais é um passeio que está sempre incluso na programação. As frutas, as ervas aromáticas, as verduras são sempre uma curiosidade. Os tradicionais piqueniques também fazem parte da programação, uma vez que na Europa é muito comum o uso das praças para momentos de lazer.

    Bruxelas na Bélgica - fi camos surpresos coma cidade - é um “doce” - parece uma cidade cenográfi ca.
    Bruxelas na Bélgica - fi camos surpresos coma cidade - é um “doce” - parece uma cidade cenográfi ca.

    Organização

    A fase do planejamento para Vanessa é tão divertida quanto os dias de viagem. “Eu passo horas pesquisando através de sites as melhores opções para a compra de passagens e uso o guia “Publifolha” para escolher os locais a serem visitados. O único produto que compro diretamente de agências é o seguro de viagens”, disse. O restante da organização ela faz por conta própria e afirma que não é difícil.

    “É claro que nesse tipo de viagens não temos mordomias. Temos que puxar a mala, lavar roupas, preparar a refeição. Mas é muito bom”, disse. Nessa organização implica também o estudo da cultura e do clima. A família escolhe sempre os melhores momentos para a viagem, uma vez que seria difícil conviver com o frio intenso ou calor intenso.

    O casal em Veneza na Itália - “Fiquei emocionada porque era um sonho de criança” (Vanessa).
    O casal em Veneza na Itália - “Fiquei emocionada porque era um sonho de criança” (Vanessa).

    Experiências

    Na viagem feita ao Chile, a família se hospedou em uma cabana na Patagônia. Fizeram amizade com a proprietária do imóvel e com ela aprenderam sobre cultura local. Viveram durante as férias a experiência de moradores daquela região.

    Para Vanessa a Europa é a sua paixão, onde se sente em casa. “Eu adoro cidades históricas, conhecer a cultura. A Europa é um sonho”, concluiu. Outra observação que ela registra é a vida ativa dos idosos. “É comum vermos idosos andando de patins, patinete. Essa atividade sempre chama a minha atenção”, afirma. Outra observação de Vanessa é o respeito à vida alheia. Mesmo nas cidades menores observase o respeito com a privacidade do outro, o que muitas vezes não ocorre no Brasil.

    Sobre a comunicação, como na maioria dos países, o inglês é uma língua dominante, a comunicação é tranquila. Os prestadores de serviços, na maioria, falam bem o inglês. Entre os países visitados ela teve mais dificuldade para interpretar a língua na França e na República Tcheca. Por exemplo, “dobré ráno: bom dia” em tcheco.

    Na gastronomia as visitas aos mercados é sempre o descobrir de um novo universo. Os doces são uma tentação constante, mas os pães deixam a desejar, mesmo na Itália e na França. Os sorvetes também têm sabores diferentes dos conhecidos no Brasil.

    Sobre o inusitado, Vanessa destaca a visita a cidade medieval Carcassonne na França. O antigo, as ruelas, as casas se mesclam com o novo, a tecnologia, a internet a disposição dos turistas.

    .

    © 2019 Foco Magazine. Todos os direitos resevados.