Última Edição
Janeiro/Março 2020
Janeiro/Março 2020

Saúde

O que eu posso fazer para tratar a DTM?

  • Aquela dor de cabeça persistente pode não ter origem neurológica. Se vier acompanhada de pressão atrás dos olhos, zumbidos nos ouvidos e estalidos ao abrir e fechar a boca, muito provavelmente deve-se a um problema chamado DTM (Disfunção Temporomandibular). Trata-se de uma patologia que acomete anualmente milhões de brasileiros e que, em sua fase crítica, pode causar dor insuportável e até travar a mandíbula.

    A dentista Marina Lemos Cardoso Cançado, especialista em DTM e Dor Orofacial, mestranda em Ortopedia Funcional dos Maxilares.
    A dentista Marina Lemos Cardoso Cançado, especialista em DTM e Dor Orofacial, mestranda em Ortopedia Funcional dos Maxilares.

    A dentista Marina Lemos Cardoso Cançado, especialista em Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial pelo Centro de Pós-Graduação e Pesquisa em Odontologia (Cepreno) de Ribeirão Preto, explica que as Disfunções Temporomandibulares (DTM’s) são um conjunto de distúrbios articulares e musculares na área da Articulação Temporomandibular (ATM), caracterizados por dor, sons nas articulações e função mandibular irregular ou com desvio.

    “Qualquer pessoa pode sofrer de DTM ou dor Orofacial, o que varia é o nível do problema em cada indivíduo. Quanto maior o stress, a dor é mais intensa e o tratamento se faz necessário, evitando-se assim sequelas indesejáveis. Atualmente existem crianças com quadro de DTM apresentando bruxismo, alterando o crescimento facial e estes casos são urgentes”, alerta a dentista.

    Segundo a dentista, os sintomas mais comuns da doença são: dor na mandíbula e na região da ATM, dor de cabeça, ruído na articulação, dificuldade para abrir e fechar a boca, para morder, cortar alimentos e pode ocorrer até quando a boca está em repouso. Os pacientes que sofrem de DTM também podem apresentar enxaqueca, dor de ouvido, surdez momentânea, vertigem ou zumbido, ouvido tampado, além de perturbações visuais, tontura, náuseas e vômitos.

    “Se apresentar um ou mais desses sintomas, a pessoa pode estar desenvolvendo uma DTM/ Dor Orofacial e deverá procurar um profissional especialista apto a realizar um diagnostico diferencial de todas as outras dores que se manifestam nesta área. A DTM contribui para o agravo da dor de cabeça pré-existente, cujo desconforto e estresse podem causar tensão nos músculos do pescoço e ombro. Já a dor orofacial não é ameaçadora para a vida, mas pode ser extremamente angustiante para o paciente, afetando a sua qualidade de vida”, esclarece a especialista.

    A profissional fala ainda que é importante conhecer alguns fatores que contribuem para o desenvolvimento e manutenção da DTM como, por exemplo, o bruxismo, traumatismos, o estresse, a ansiedade, a artrite e os procedimentos dentários prolongados, entre outros.

    O bruxismo, por exemplo, diz ela, tem despertado o interesse dos profissionais devido ao seu aspecto etiológico multifatorial, as consequências potencialmente destrutivas e à presença de uma conflitante terapêutica envolvendo várias áreas biomédicas, propiciando diferentes interpretações diagnósticas e consequentemente condutas terapêuticas, por vezes dogmáticas e divergentes. “Os sintomas até podem ser controlados e curados, porém, devido a diversidade etiológica, por vezes pode necessitar do acompanhamento de outras áreas biomédicas afins, voltadas para os aspectos psicomotores. E o tempo de tratamento depende do diagnóstico”, orienta ela.

    Conforme Marina, existem várias modalidades terapêuticas no tratamento da DTM. O controle da dor, é a primeira meta no tratamento das DTM’s. “Vem sendo utilizadas várias modalidades terapêuticas como medicação, placas oclusais, acupuntura, fisioterapia, recursos físicos (calor, frio, laser, eletroterapia), todas reversíveis de tratamento”, diz Marina completando que “a Ortopedia Funcional dos Maxilares (OFM) tem mostrado ser uma excelente terapia no tratamento de pacientes com DTM, dor orofacial, no controle da dor facial crônica, resistente aos tratamentos convencionais (placa oclusal, ajuste oclusal ou exercícios físicos mandibulares), principalmente tratando-se de dores de origem muscular”.

    .

    O dispositivo ortopédico funcional, uma aparatologia de ação bimaxilar, atua no sistema neuromuscular, melhorando a reconstituição muscular e função articular, ocorrendo assim, a interrupção do padrão muscular da parafunção e redução do comprometimento oclusal. O emprego da terapia a laser de baixa intensidade pode ser usado como coadjuvante do tratamento da DTM e dor orofacial. Sua atuação é no sentido de promover a redução da dor causada pela disfunção muscular, com ações analgésicas e antiinflamatórias.

    A dentista ressalta que a dor de cabeça, é um dos sintomas que mais atingem pessoas em todo o mundo e que sinais e sintomas de dor de cabeça relacionados com stress e atividades parafuncionais, são observados em 80 a 90% da população. “O ideal é ficar atento. Qualquer alteração mastigatória pode levar a sobrecarga da ATM – articulação temporomandibular – que gera a disfunção. Muitas pessoas sofrem desse mal e nem sequer sabem disso”, alerta a dentista concluindo.

    “Existem várias manifestações de dor como, dores de cabeça lateral do crânio, na nuca, no pescoço, cansaço nos ombros ao despertar, dores no ouvido, na abertura da boca, fadiga muscular na mastigação de alimentos sólidos, etc. Ao tratamento oferecido pelo profissional, deve-se adicionar um programa de cuidados domiciliares em que o paciente é ensinado sobre seu problema e como ele pode controlar esses sintomas.”

    Sintomas da DTM

    - Dor de cabeça, de ouvido, atrás dos olhos

    - Estalido ou sensação de desencaixe ao abrir ou fechar a boca

    - Dor ao bocejar e ao mastigar

    - Dor no pescoço e nas costas

    - Travamento ao fechar ou abrir a boca

    - Sensação de cansaço na musculatura da mastigação

    - Zumbidos no ouvido

    - Cansaço nos ombros ao despertar

    - Tontura, náuseas e vômitos

    O que é ATM: (Articulação Temporomandibular) é uma das articulações mais complexas do corpo humano, responsável por mover a mandíbula para frente, para trás e para os lados. Qualquer problema que impeça a função ou o adequado funcionamento deste complexo sistema de músculos, ligamentos e de ossos é chamado de DTM, que muitas vezes está diretamente relacionado ao apertamento dos dentes (bruxismo).

    © 2019 Foco Magazine. Todos os direitos resevados.