Última Edição
Janeiro/Março 2020
Janeiro/Março 2020

Saúde

Sexo saudável e mais seguro

  • Saiba como melhorar a relação a dois.

    Hoje em dia, mesmo estando vivendo em “tempos modernos”, ainda sobram dúvidas e angústias entre quatro paredes. Há tantas informações em TV, internet, que muitos casais entram em uma ansiedade e insatisfação na busca da sexualidade perfeita, ou quase perfeita, mesmo sendo algo íntimo e pessoal. Aproveitando o mês que se comemora o “Dia dos Namorados”, vamos falar um pouco sobre “Sexo Saudável”. Convidamos a médica ginecologista, Dr.ª Cynara Pereira, para esclarecer algumas dúvidas.

    Dr.ª Cynara Pereira - Ginecologista.
    Dr.ª Cynara Pereira - Ginecologista.

    O que é uma vida sexual saudável? 

    Uma vida sexual saudável é aquela que permite ao indivíduo exercer a sexualidade de forma plena, em busca do prazer e satisfação do desejo preservando sua integridade, sem lhe trazer malefícios. Exige amadurecimento físico e emocional, experiência, intimidade com o (a) parceiro (a), bom padrão de conhecimento sobre o assunto, além de hábitos saudáveis de vida e saúde geral preservada.

    Quais os benefícios do sexo saudável? A sexualidade é indissociável da estrutura mental do indivíduo, assim exercê-la faz parte do equilíbrio fisiológico do organismo. Praticá-la de forma segura e com responsabilidade permite que a busca pelo prazer se torne descomplicada.

    O que fazer para aumentar o apetite sexual?

    O desejo, ou apetite sexual ocorre na medida em que existe envolvimento, interesse, liberdade e cumplicidade entre o casal. Se com o tempo de relacionamento ele se torna menos evidente pode-se lançar mão de artifícios eróticos, tais como acessórios, peças íntimas, filmes ou até mesmo criar situações que fujam à rotina. Algumas vezes é necessária uma avaliação médica a fim de buscar doenças ou medicamentos já utilizados que possam interferir no desejo.

    Sexo até que ponto é saudável?

    O sexo deixa de ser saudável quando o indivíduo não é capaz de participar do ato sexual com satisfação. Na disfunção sexual, essa dificuldade passa a ser persistente ou recorrente, além de vivenciada como algo indesejável, desconfortável e incontrolável. Tais quadros constituem a grande maioria dos transtornos da sexualidade, manifestando-se por: falta exemplificada pela disfunção erétil (falta de ereção), inibição do desejo sexual (desejo sexual hipoativo) e ausência de orgasmo (anorgasmia); excesso, cujo exemplo é o impulso sexual excessivo; desconforto, representado pela ejaculação precoce (no homem) e pelo vaginismo (na mulher); dor na relação (dispareunia) que pode acometer tanto mulheres quanto homens.

    “O sexo saudável real é aquele feito por pessoas reais, na vida real . Aquele do cinema vale como estímulo mas nunca como objetivo final!”

    Quando o homem ou a mulher percebe uma disfunção sexual, o que se deve fazer e quais são as causas? 

    Primeiro vamos definir o que é disfunção sexual. Sendo o sexo uma resposta psicofisiológica, que ocorre em várias fases, a disfunção sexual é um bloqueio total ou parcial desta resposta. Quando o bloqueio ocorre no nível da apetência estamos diante da inapetência sexual, também conhecido como distúrbios da libido. Quando o bloqueio ocorre na fase da excitação, se o indivíduo é do sexo masculino, estamos diante das disfunções eréteis. Quando pertence ao sexo feminino a disfunção está representada por alterações na lubrificação vaginal. Quando o bloqueio se dá a nível do orgasmo, estamos diante das anorgasmias. Como no homem o orgasmo geralmente coincide com a ejaculação, aqui surgem também as disfunções ejaculatórias (ejaculação precoce e ejaculação bloqueada). Existem também dores no momento da relação que são causa de disfunções, são os casos conhecidos como dispareunia e vaginismo. A maior causa de disfunções sexuais são fatores psicológicos que levariam aos bloqueios mencionados. Existem ainda causas orgânicas como doenças agudas ou crônicas, anomalias genéticas ou uso de medicamentos que podem interferir na regulação da resposta sexual humana. Quando se detecta um distúrbio sexual, o correto seria procurar orientação médica. Inicialmente ela pode ser clínica ou de ginecologista /urologista. Posteriormente será necessário, em muitas das vezes, consultar um terapeuta sexual.

    Mito ou verdade? Existe relação entre desempenho sexual e alimentação saudável?

    É verdade que o desempenho sexual depende de uma vida saudável de uma maneira global.

    Quais são esses alimentos? E quais evitar?

    Muitos dos alimentos listados como “ bons” para melhorar o desempenho sexual, na verdade já fazem parte da dieta habitual, como leite, ovos, banana, café, chocolate e carne. Os alimentos irão fazer o organismo funcionar melhor de maneira global, não apenas na resposta sexual. Outros melhoram especificamente os hormônios ou os gametas masculinos, como o amendoim, que por causa do zinco, melhora a produção e mobilidade dos espermatozóides. Há aqueles, como o café e chocolate que são estimulantes se consumidos antes das relações. Existem os depressores da resposta sexual, sendo o álcool o principal.

    Sexo saudável com segurança, qual a importância?

    Para ser saudável o sexo deve ser seguro, na medida em que não expõe seus participantes a adquirirem doenças sexualmente transmissíveis, como AIDS, sífilis, HPV, gonorreia, cancro, hepatites, entre outras. Além disso a mulher deve estar segura quanto a não engravidar se não desejar. Para isto é necessário o uso de método de barreira (camisinha), que pode ou não estar associado a outro método anticoncepcional.

    Acredito que a mídia trata o tema de maneira errada, muitas das vezes. Assim, o jovem é influenciado de maneira negativa a pensar em sexo como fonte de prazeres físicos.

    O que o jovem precisa saber antes da iniciação sexual? 

    Antes de iniciar a vida sexual o jovem precisa necessariamente saber sobre as possíveis consequências. Assim, deve ser orientado sobre a fisiologia da resposta sexual humana e a possibilidade de gravidez, além do risco de aquisição de doenças sérias e de tratamento difícil. Deve ser mostrado a ele que sexo saudável é aquele praticado com respeito e responsabilidade.

    Qual a função dos pais junto ao filho que está iniciando a vida sexual?

    A função dos pais é não se omitirem e deixarem que “eles aprendam na escola ou na internet”, pois muitas vezes eles precisam de mais informação e precisam se sentir seguros. Os pais, mesmo se tiverem dificuldade no diálogo na esfera sexual, podem levar o filho (a) ao médico e solicitarem orientações e esclarecimentos. Aqui vale aquele ditado: É melhor ficar vermelho cinco minutos que amarelo toda a vida!

    Você acredita que a exposição do sexo na mídia influencia a falta de importância que o jovem dá ao fazer a escolha do parceiro?

    Acredito que a mídia trata o tema de maneira errada, muitas das vezes. Assim, o jovem é influenciado de maneira negativa a pensar em sexo como fonte de “prazeres físicos“. Sabemos que isto é transitório e o amadurecimento fará com que procure valorizar o parceiro em vários outros aspectos que não apenas um corpo perfeito.

    Muitos jovens se pressionam ou se sentem pressionados pelo parceiro ou parceira para realizar o ato sexual, o que isso pode prejudicar na sua vida?

    O jovem é uma mente imatura. Portanto, qualquer experiência negativa nesta fase pode trazer sérias repercussões ao longo da vida. Se for forçado a iniciar vida sexual poderá, futuramente, desenvolver bloqueios que serão causas de disfunções sexuais.

    Para finalizar, dê algumas dicas para uma vida sexual saudável.

    Para ter uma vida sexual saudável o indivíduo deve se alimentar de maneira saudável, de acordo com as recomendações nutricionais para indivíduos sadios; praticar exercícios físicos de maneira regular, ou seja, pelo menos 3 vezes na semana com duração mínima de 30 minutos; evitar consumo de bebidas alcoólicas ou consumir com moderação; não fumar e não usar drogas, pois estas dão uma falsa impressão de melhora na performance sexual. Devem ainda ir ao médico regularmente e não praticarem automedicação, pois muitos remédios são prejudiciais à resposta sexual. Finalmente devem evitar o stress excessivo e não se cobrarem performances mirabolantes entre quatro paredes. “O sexo saudável real é aquele feito por pessoas reais, na vida real. Aquele do cinema vale como estímulo mas nunca como objetivo final!”

    © 2019 Foco Magazine. Todos os direitos resevados.