Última Edição
Janeiro/Março 2020
Janeiro/Março 2020

Saúde

Artrose - Esse mal pode ser evitado

  • O susto é sempre grande quando um jovem adulto recebe o diagnóstico: artrose - doença degenerativa que desgasta as cartilagens ósseas e é conhecida da maioria da população por atingir pessoas idosas.

    O médico ortopedista, Dr. André Schmidt Soares:
    O médico ortopedista, Dr. André Schmidt Soares: "A doença torna-se evidente a partir dos 30 anos e estima-se que 35% das pessoas já tenham artrose em alguma articulação nessa idade, sendo a grande maioria sem sintomas."

    Entretanto o envelhecimento da articulação também acomete os mais jovens, segundo informa o médico ortopedista, Dr. André Schmidt Soares. Ele adianta que o aumento desse diagnóstico está acontecendo em todo o mundo e que “a doença torna-se evidente a partir dos 30 anos e estima-se que 35% das pessoas já tenham artrose em alguma articulação nessa idade, sendo a grande maioria sem sintomas. Aos 50 anos aumenta muito a prevalência e 85% das pessoas, acima de 70 anos, tem evidência radiográfica desta doença, mas apenas parte destas desenvolvem sintomas”. Ele lembra ainda que a população brasileira está envelhecendo e isso significa que, assim, a artrose é uma doença que também tende a aumentar nos próximos anos.

    Dr. André relata que o aumento no diagnóstico de artrose em jovens vem acontecendo em todo o mundo. Nos adolescentes, (que também podem ser acometidos pela doença), ela é provocada por traumas ou má-formação congênita; nos demais jovens e pessoas maduras (entre 20 e 40 anos), os motivos são muitos: lesões por impacto (provocadas, muitas vezes, por esportes que exigem muito do corpo), microfratura por traumas e até doenças que podem causar infarto da cabeça do fêmur como a anemia falciforme e outras (a área atingida sofre processo de necrose e a consequência é a degeneração da articulação ou artrose). O uso exagerado de corticoides e álcool também podem provocar a doença.

    Conforme explica, a artrose, também conhecida como osteoartrite, artrite degenerativa e doença articular degenerativa, é uma doença reumática que incide principalmente nas articulações dos joelhos, coluna, quadril, mãos e dedos. Ocorre tanto em homens como em mulheres, sendo a mais comum das doenças reumáticas.

    Melhor prevenir

    Como a maioria das patologias, o diagnóstico precoce é o ideal, segundo Dr. André. “Depois de instalada a lesão cartilaginosa, a tendência é piorar, pois trata-se de uma doença progressiva e crônica”, orienta, lembrando que “quando uma artrose é diagnosticada tardiamente, quase sempre não há muito o que fazer. Se for uma grande articulação de carga, por exemplo, como quadril e joelho, o tratamento, em geral, é apenas a artroplastia que é a colocação de prótese”.

    Artrose

    Ao contrário, se a artrose for diagnosticada precocemente existem algumas condutas a serem tomadas para evitar a cirurgia ou retardá-la, lembra. Uma artrose de joelho ou quadril, por exemplo, diagnosticada precocemente, pode ser tratada com cirurgias de menor porte como a artroscopia e a osteotomia, enfim, cirurgias que vão corrigir a causa que no futuro levaria a uma artrose, assegura Dr. André. Ele destaca que muitas pessoas são pegas de surpresa ao serem diagnosticadas com a doença porque frequentemente as alterações aparecem no Raio X antes de o paciente ter algum sintoma. 

    Afinal, quais são os sintomas da artrose que tanto está presente no ser humano do século XXI? De acordo com Dr. André, o principal sintoma é a dor. Inchaço, calor, rangidos, limitação dos movimentos nas articulações afetadas e deformidades também são sintomas comuns. Rigidez articular também pode ocorrer após longos períodos de inatividade, por exemplo, quando o indivíduo permanece sentado por mais tempo ou ao acordar.

    Em vermelho, os pontos onde normalmente causam mais dor.
    Em vermelho, os pontos onde normalmente causam mais dor.

    E as causas da artrose, essa doença temida por tanta gente? Dr. André explica que ela é multifatorial, ou seja possui várias causas, como o uso repetitivo da articulação durante o trabalho ou ao praticar atividade física; alterações hormonais que são mais frequentes após a menopausa; excesso de flexibilidade articular e impacto, como ocorre com alguns atletas; a obesidade, a genética, traumatismo, fraturas, torção ou pancada direta sobre a articulação, entre outras causas.

    Conforme o médico há dois tipos de artrose: a primária, que atinge mais os idosos e a secundária, os mais jovens. “A progressão da primária é mais lenta; já a secundária, que tem uma causa específica, como a artrose pós-trauma, pós-infecção, pós-necrose avascular, defeito nas articulações, entre outras, evolui mais rapidamente.

    Afinal: qual a diferença entre artrose e artrite?

    Aí está uma pergunta costumeira que Dr. André simplifica, definindo assim: “Artrite é um termo mais genérico, que significa inflamação nas articulações, produzida por diversos motivos. Existem mais de cem tipos de artrite: artrite reumatoide, artrite gotosa, artrite psoriática, artrite séptica, entre tantas outras. A osteoartrite, mais conhecida como ARTROSE, é um dos vários tipos de artrite, caracterizada pela degeneração da cartilagem articular”, esclarece.

    Osteoartrite

    Segundo Dr. André, o tratamento da artrose é multidisciplinar, e busca a melhora funcional, mecânica e clínica (dor). Conforme exemplifi ca, existem alguns remédios que evitam a progressão da doença, além dos que aliviam a dor, como os analgésicos e anti-inflamatórios. Há também o tratamento comportamental que se faz com a perda de peso, mudança de atividades físicas, profissionais, uso de bengalas ou muletas para alívio de carga. O tratamento com fisioterapia, que pode ser realizada com recursos térmicos, aparelhos e exercícios, também tem seu espaço. Como já foi dito, pode-se também recorrer à cirurgia para retirada de parte do tecido comprometido ou para substituição da articulação por uma prótese. 

    Uma coisa é certa: para os pacientes que sofrem com a artrose, os exercícios físicos, mais uma vez, são bem lembrados e indicados, sobretudo os que não provocam impacto, como a hidroginástica, a natação e o Pilates. Palavra do especialista, Dr. André Schmidt Soares.

    Arlete Porto

    Dr. André Schmidt Soares

    © 2019 Foco Magazine. Todos os direitos resevados.