Última Edição
Janeiro/Março 2020
Janeiro/Março 2020

Esporte e Saúde

A ciência da GORDURA:

  • Marcelo Campos Machado
  • como ela é armazenada no corpo - e como queimá-la.

    Segundo o Ministério da Saúde, 51% da população brasileira acima de 18 anos está acima do peso ideal (agosto de 2013), no entanto, há algumas concepções incorretas sobre a gordura e estes enganos podem contribuir para dificultar a perda, ou melhor, podem atrapalhar o esforço para se perder peso. Então vamos nos livrar dessa desinformação ingerindo um pouco de conhecimento.

    A gordura corporal é uma “energia potencial”. As calorias presentes na comida ingerida são um combustível. Depois que as calorias entram na corrente sanguínea, este combustível é queimado em vários processos metabólicos. Isto inclui atividade muscular, digestão, respiração, funções cerebrais, crescimento dos cabelos etc, resumindo, o básico da sobrevivência. Porém, algumas vezes consumimos mais calorias do que o corpo consegue queimar, então começa aí o “milagre” da gordura. O corpo apropria essas calorias que sobraram e guarda nas células de gordura (ou células adiposas). Elas se expandem à medida que há aumento de consumo de calorias e encolhem quando há diminuição no consumo.

    Para se queimar gordura, ou melhor, para retirar a gordura das células adiposas, é necessário um processo metabólico que a transforma em calor, dióxido de carbono, água e ATP (trifosfato de adenosina). Na forma de calor, o corpo mantém a temperatura de 37ºC para a manutenção da vida, com isto há queima de calorias para esta estabilidade. Sempre que há queima, há reação e forma-se dióxido de carbono, que através da corrente sanguínea vai até os pulmões onde é eliminado. A principal fonte imediata de energia é produzida quando há quebra de uma molécula de fosfato de ATP, o que fornece uma pequena explosão de energia nos músculos, fazendo-os trabalharem e assim quebrarem várias moléculas de fosfato para as atividades musculares, isto é o ciclo de Krebs. Todos estes processos também transformam a gordura em água e após urinar, a gordura também é eliminada.

    Um dos erros mais comuns sobre a gordura é que quando se perde peso não se perde célula de gordura. As células adiposas são iguais a balões, quando se perde peso, retira algo destes balões inchados, ou seja, faz encolher as células adiposas, porém estarão quietas, prontas para serem novamente reabastecidas. A gordura mais perigosa é a que acumula ao redor dos órgãos internos, a gordura visceral, responsável por ataque cardíaco, derrame, insuficiência hepática, diabetes e pressão alta. Esta gordura inibe a produção de um hormônio muito importante, adiponectina, que regula o metabolismo do corpo, em outras palavras, quanto mais gordura visceral se acumula, mais lento fica o metabolismo, ou seja, mais fácil de armazenar gordura. Torna-se um ciclo difícil de ser quebrado.

    por Marcelo Campos Machado

    © 2019 Foco Magazine. Todos os direitos resevados.