Última Edição
Janeiro/Março 2020
Janeiro/Março 2020

Saúde

Maior cuidado com o consumo de alimentos nesse calor!

  • As bactérias podem estar presentes nos alimentos. Por isso todo o cuidado é necessário para que o produto final, pronto para o consumo, seja livre de contaminação. O processo de higienização, manipulação, aquecimento, resfriamento, armazenamento e distribuição é que vai garantir ao consumidor um alimento seguro.

    Andreína Mendonça, nutricionista e consultora em higiene ea segurança alimentar: “A manipulação dos alimentos exige uma série de cuidados que passam por várias etapas.
    Andreína Mendonça, nutricionista e consultora em higiene ea segurança alimentar: “A manipulação dos alimentos exige uma série de cuidados que passam por várias etapas.

    Entre as bactérias causadoras de doenças podemos citar algumas espécies de Clostridium, Salmonella, Estafilococos. Essas bactérias podem causar vômitos, fortes dores abdominais, diarréia, febre, tonturas, além de paralisia muscular e respiratória (no caso da toxina botulínica), e até mesmo a morte.

    Segundo a nutricionista e consultora em higiene e segurança alimentar, Andreína Mendonça, quando as pessoas passam por um processo de intoxicação raramente elas atribuem ao alimento, sempre alega outras causas, o que pode agravar o quadro clínico do paciente.

    O consumidor deverá ficar atento aos locais de venda como lanchonetes, padarias, açougues, supermercados e outros. Nesses locais os alimentos devem estar acondicionados adequadamente para evitar contaminação.

    Segundo Andreína, o ditado popular “O que não mata engorda”, muito utilizado para justificar procedimentos inadequados de preparo e ingestão dos alimentos, pode colocar em risco a saúde da família contaminando crianças, adultos, idosos e pessoas com baixa imunidade. No caso de festas,

    Andreína aconselha o consumidor conhecer a conduta higiênica da empresa pretendida e fazer uma degustação antes da contratação. Nas festas a dica é ingerir alimentos como frutas secas, salgadinhos fritos na hora e evitar alimentos a base de maioneses e cremes, que são mais suscetíveis à intoxicação.

    As Doenças Transmitidas por Alimentos (DTAs) têm poucos registros nos órgãos competentes, o que pode não ser condizente com a realidade. Na Delegacia Regional de Saúde de Passos os dados começaram a ser digitalizados em 2010.

    A Vigilância Sanitária padroniza procedimentos para evitar riscos de contaminação para a população.

    Muitos desses procedimentos podem e devem ser usados no ambiente doméstico. A manipulação dos alimentos exige uma série de cuidados que passam por várias etapas.
    Selecionar desde a origem

    Os produtos hortifrutigranjeiros devem ser selecionados. As frutas e legumes devem estar isentas de rachaduras, ferrugens e devem ser firmes. As folhas devem estar viçosas e sem manchas. Os produtos cárneos devem ter textura firme e não conter excesso de gelo. Todos os produtos devem ter coloração característica. Atenção especial à data de validade dos produtos industrializados, assim como na aparência da embalagem que deve ser livre de danos físicos. Os sacos plásticos deverão estar hermeticamente fechados, as latas não poderão estar amassadas, estufadas ou enferrujadas.

    Cozinhar

    Um dos objetivos do cozimento dos alimentos, além de melhorar textura e paladar, é eliminar as bactérias existentes nos mesmos. Alimentos quando mal cozidos, principalmente as carnes “mal passadas” podem manter essas bactérias vivas e causar contaminação.

    Armazenar

    O último produto que a dona de casa deve colocar no carrinho ao fazer as compras são os produtos refrigerados, congelados e os de origem animal, assim o produto ficará menos tempo em temperatura ambiente, evitando a sua deterioração. Ao chegar em casa os produtos deverão ser armazenados da seguinte forma: os congelados no freezer, legumes e verduras na gaveta da geladeira. Os ovos deverão ser armazenados em recipientes com tampa, na parte inferior da geladeira, e higienizados somente quando forem utilizados. Os cereais podem ficar dentro da própria embalagem, em local seco, sem luminosidade excessiva e bem ventilado. As sobras de enlatados deverão ser retiradas da embalagem original e armazenadas em recipientes com tampa sob refrigeração, devendo ser consumido o mais rápido possível.

    Armazenamento pós cozimento

    As refeições prontas deverão ser consumidas logo após o preparo. O prazo máximo que o alimento poderá ficar em temperatura ambiente é de 1 hora. O mesmo cuidado deve-se ter com as sobras das refeições, que deverão ser acondicionadas em recipientes com tampa e mantidas sob refrigeração.

    .

    Dicas

    *Lavar bem as mãos com água e sabão e após esse procedimento fazer uso do álcool gel. As mãos são os principais veículos de contaminação por microorganismos.

    *Na preparação de hortaliças elimine as folhas danificadas. Lave uma a uma sob água corrente para eliminar a sujidade grossa. Após este processo colocá-las em um recipiente com a seguinte solução: 1 litro de água + 1 colher (sopa) de água sanitária (própria para higienizar alimentos, como informado no rótulo), durante 15 minutos. Todos os legumes, verduras e frutas que serão consumidos crus deverão passar por este processo.

    *Contaminação Cruzada: cuidado especial ao manipular alimentos crus próximo a alimentos já cozidos, pois as bactérias dos alimentos crus poderão passar para o alimento pronto para o consumo. O mesmo cuidado deve-se ter com os utensílios: talheres e recipientes usados para cortar ou mexer os alimentos crus não devem entrar em contato com o alimento já cozido.

    *Utilizar pano de prato somente por um dia. O pano de prato é um grande condutor de bactérias.

    *Eliminar lixinho da pia.

    *Lavar a bucha de pia e secá-la no microondas por um minuto, diariamente.

    *Não utilizar pano de pia. Dar preferência ao pano de pia descartável.

    *Cuidado especial com as moscas, formigas e roedores, grandes disseminadores de bactérias.

    © 2019 Foco Magazine. Todos os direitos resevados.