Última Edição
Janeiro/Março 2020
Janeiro/Março 2020

Gestão de Negócios

Planejamento Estratégico!

  • Como você está planejando sua empresa para o futuro?

    Mickel Porter, um dos mais admirados escritores de Planejamento Empresarial a nível mundial nos diz: “Não devemos competir para ser o melhor e sim o único”. Tal afirmativa vem nos mostrar como devemos conduzir nossas organizações no mercado atualmente. Normalmente estamos focados em buscar maior competitividade, maior eficiência/eficácia, maior aumento de produtividade... Sem sombra de dúvidas isto é importantíssimo, entretanto quando falamos em deixar de ser o melhor e tentar ser o único, a estratégia da nossa empresa muda assustadoramente.

    Em um dos livros de estratégia mais lidos no mundo nos últimos anos “A Estratégia do Oceano Azul” seus autores W. Chan Kim e Renée Mauborgne relatam que devemos enquanto gestores, criar novos mercados, mas como deveríamos fazer isto? Imagine um universo composto por dois tipos de mercado – o mercado comum e o novo mercado. O mercado comum representa todos os setores hoje existentes. Já o novo mercado abrange todos os setores ainda inexistentes, é um espaço de mercado desconhecido. No mercado comum, as fronteiras dos setores existentes são defi nidas e aceitas, e as regras do jogo são conhecidas, onde se busca a maior fatia possível da demanda existente. Já no novo mercado, em contraste com o mercado comum, os espaços ainda são inexplorados, sendo caracterizado pela criação de novas demandas e pelo crescimento altamente lucrativo. No novo mercado a competição é irrelevante, pois as regras do jogo ainda não estão definidas, grande parte deste mercado ainda não foi mapeada.

    Nos últimos 25 anos o foco predominante dos trabalhos sobre estratégia foi concentrado no mercado comum, de competição acirrada, muita das vezes de baixa lucratividade e instabilidade. O resultado foi o desenvolvimento de conhecimentos muito bons sobre: como competir com habilidade no mercado comum, escolher uma posição estratégica de baixo custo, diferenciação ou foco, e comparar-se, de maneira contínua e sistemática, com os concorrentes. Entretanto o que Porter, Chan Kim e Mauborgne enfatizam nos seus discursos e obras, é que devemos procurar criar um novo mercado para nossas organizações, e de que forma poderemos fazer isto? Segundo estes estrategistas devemos: Reconstruir as fronteiras do mercado existente (criar novos produtos e serviços); Concentrar no panorama geral, não nos números (se preocupar mais com a estratégia do que com o operacional); Ir além da demanda existente (procurar oferecer serviços diferenciados dos seus concorrentes); Acertar a sequência estratégica da nossa organização (ajustar a estratégia organizacional); Não tentar imitar nossos concorrentes, e também, não devemos tentar atender a todas as solicitações de todos os clientes.

    Neste contexto, enquanto gestores nos resta pensar, pensar e pensar, criar, criar e criar, ser ousado, ser persistente, buscar constantemente novos serviços ou produtos para serem oferecidos aos nossos clientes, afinal, nenhuma empresa pode ter sucesso sendo apenas ágil. É preciso ter coerência e criatividade com um sentido de urgência.

    por Wêsley Andrade

    © 2019 Foco Magazine. Todos os direitos resevados.