ltima Edio
Janeiro/Março 2020
Janeiro/Março 2020

Saúde

Cólica e Surgimento dos Primeiros Dentes: incômodo para os bebês

  • Dois assuntos que costumam deixar as mães enlouquecidas, já que o bebê fica bem nervoso e irritado, são as cólicas (nos três primeiros meses de vida) e o nascimento dos primeiros dentinhos. Saiba os motivos destes desconfortos e como aliviar a dor dos pequeninos com o médico pediatra, Dr. Helder Garcia.

    DORES COMUNS DO COTIDIANO DOS BEBÃÅ S

    O choro alto do bebê é alarmante para qualquer mãe. Quando ele é intenso e não cessa mesmo depois da mamada, da troca da fralda e de outros mecanismos que normalmente o acalmam, a preocupação da mãe só aumenta. Apesar da frustração, não existe nenhum risco para o bebê quando a causa do choro é a cólica. 

    “A cólica do lactente é um tipo de dor provocada pela contração do intestino. Tem evolução benigna e desaparece, habitualmente, até o final do terceiro mês de vida. O bebê realmente costuma ficar irritado, agitado, choroso, vermelhinho, sacode os bracinhos, eleva as pernas em direção à barriga e, muitas vezes, elimina gases. É mais frequente no final da tarde e início da noite, podendo persistir por horas”, esclarece o médico pediatra passense, Dr. Helder Garcia.

    Apesar de inúmeras pesquisas sobre a origem dessa cólica, a causa exata permanece desconhecida. A hipótese mais aceita é de que esta dor esteja relacionada com uma imaturidade do sistema digestivo do bebê e sua mobilidade regulada pelo sistema nervoso; as contrações intestinais estariam desorganizadas. Assim se justifica o porquê de algumas crianças apresentarem muita ou pouca cólica, já que o grau de amadurecimento do mesmo pode variar.

    Conforme o pediatra, outros fatores aceitos são a dificuldade na absorção da lactose, alergia a algum outro componente do leite e fatores relacionados à mãe ou aos familiares, como pais mais sensíveis ao choro ou mais ansiosos. Assim, o leite materno comprovadamente ocasiona menos cólica que outros leites.

    “Não há nada comprovado cientificamente sobre alimentos que as mães devam restringir, porém, habitualmente não indica-se alimentos estimulantes como: café e chocolate. Entre os alimentos que se imaginam poder causar cólica estão: leite, feijão, repolho, couve-flor, brócolis e comidas apimentadas”, diz o médico.

    O médico pediatra, Dr. Helder Garcia e sua filha Clara: “As cólicas são mais frequentes no final da tarde e início da noite, podendo persistir por horas.”
    O médico pediatra, Dr. Helder Garcia e sua filha Clara: “As cólicas são mais frequentes no final da tarde e início da noite, podendo persistir por horas.”

    Na hora das cólicas do bebê, segundo o pediatra, o ideal é pegá-lo no colo e levá-lo a um lugar sossegado (pouca luz e pouco barulho). Outra dica é colocá-lo em posições diferentes: a posição de barriga para baixo, apoiando todo o tronco no braço pode ajudar e melhorar ainda mais. 

    “Faça carinho no bebê, em todo corpo, massagens, especialmente na barriguinha com movimentos lentos e suaves: ajuda a criança a se sentir segura. Outra dica é conversar com a criança com a voz tranquila e jamais sacudir o bebê; isso poderá deixá-lo mais irritado. De uma hora para a outra a cólica passa e o bebê conseguirá dormir. Coloque-o no berço e mantenha o ambiente tranquilo para que ele descanse. Medicações a base de simeticona diminuem as bolhas de gás que são eliminadas com as fezes e aliviam as dores. Já os chás, por outro lado, não tiveram seus princípios ativos dosados e, assim como outras bebidas adoçadas, podem atrapalhar a amamentação.”

    Marcos do desenvolvimento: nascimento dos dentes

    O aparecimento dos dentes é um daqueles marcos que acontecem de uma só vez. A mudança do sorriso desdentado para uma boca cheia de dentinhos é um rito de passagem que pode se estender pelos dois ou três primeiros anos de vida da criança.

    O surgimento do primeiro dente varia de bebê para bebê, assim como o ritmo e o número de dentes a surgir ao mesmo tempo. O primeiro dentinho, como lembra Dr. Helder Garcia, é sempre recebido com muita alegria pelos pais. Porém, esta fase é de sofrimento e de mal estar para o bebê, o qual demonstra constantes choros de desconforto e birra.

    Os primeiros sintomas do aparecimento dos dentes – entre eles muita babação e uma boa dose de dor – começam um ou dois meses antes do grande evento. Para aliviar o sofrimento, o bebê pode começar a morder, mas não por hostilidade. Para melhorar o incômodo, os pais podem dar a ele algo para morder, como os famosos ‘mordedores’.

    “Os sintomas do aparecimento dos dentes incluem dores, irritabilidade, gengivas inflamadas e sensíveis, face quente e vermelha, salivação abundante, vontade de morder objetos e ataques momentâneos de choro”, explica Dr. Helder, comentando que o bebê pode ainda perder o apetite e alterar o seu padrão de sono: “Alguns apresentam ainda febre e diarreia”, diz.

    “Chamamos dente de leite a primeira dentição da criança. Eles são substituídos após sua queda, pelos dentes permanentes. A aparição dos dentes varia muito de criança para criança, dependendo de fatores genéticos, condições de nascimento,  desenvolvimento e amadurecimento ósseo. Para uma boa saúde dentária é importante, além dos cuidados relacionados à higiene, uma alimentação cuidadosa que ajude na formação dentária, proteja os dentes de cáries e mantenha gengivas saudáveis. O leite é essencialmente importante, pois o cálcio é o principal mineral envolvido na formação e manutenção de dentes saudáveis”, orienta o pediatra.

    Os primeiros dentes de leite aparecem na cavidade oral entre 4 e 10 meses de idade, estando a dentição completa por volta de 2 a 3 anos. Ela é composta de 20 dentes. (10 na maxila e 10 na mandíbula). Raríssimas crianças nascem com dentes, poucas iniciam sua dentição com 4 meses de idade. Nesta fase a produção de saliva e manipulação oral por parte da criança aumentam bastante, não estando relacionadas com erupção dentária necessariamente. Os bebês prematuros, atenta Dr. Helder Garcia, podem ter a sua primeira dentição atrasada. Se nenhum dente aparecer até 1 ano e 6 meses de idade, é apropriado uma avaliação com um odontopediatra.

    Graciela Nasr

    Sequência de aparecimento de dentes e idade (em média).

    DORES COMUNS DO COTIDIANO DOS BEBÃÅ S

    © 2019 Foco Magazine. Todos os direitos resevados.