Comunidade

Voc está em: Home, Comunidade, Jovens Talentos de Passos - ed. 65 - setembro/2010

Setembro de 2010

Jovens Talentos de Passos - ed. 65 - setembro/2010

Sorte não é para qualquer um, não! Imagina ser convidado a contracenar com ninguém menos que Selton Mello, diretor e ator renomadíssimo da cena nacional brasileira! Ou ser contratada para trabalhar em agência de publicidade e cinema, onde você tem contato com grandes “monstros” do teatro no seu dia-a-dia… Pois é, eles chegaram lá e encontraram espaço para mostrar o seu talento. Não é só o mundo da tecnologia que desperta o interesse dos jovens. Seduzidos pelo universo das artes, eles encaram o teatro, a literatura, o cinema, muito mais como um projeto de vida do que como um simples passatempo.

Magda Joele, 24 anos, assistente de direção de filmes publicitários e cinema.
Magda Joele, 24 anos, assistente de direção de filmes publicitários e cinema.

Na era da informatização, adolescentes e jovens parecem já nascer sabendo tudo sobre “clicks”, “i-pods”, “banda larga” e “downloads”. É neste mundo, onde a tecnologia dita os rumos da diversão, que alguns ainda encontram espaço para algo que não se “baixa” na internet: a arte.

Quem está brilhando lá fora, nos grandes centros, é a jovem Magda Oliveira Pereira Joele, de 24 anos.

E o que ela gosta de fazer não é tão comum para nós aqui da região, não! Ela é assistente de direção: faz uma espécie de ligação entre Diretor e a produção de um filme. O assistente de direção, ensina Magda, deve conhecer cada detalhe do roteiro e saber tudo o que é necessário para filmar uma cena (atores, técnicos, objetos, equipamentos). Para tanto, ela realiza a análise técnica do roteiro, é responsável por “brifar” a equipe e cobrar para que tudo esteja no seu devido lugar e no horário planejado.

“Monto o cronograma, o plano de filmagem, defino cada diária de filmagem e a ordem das cenas tendo por base o planejamento da produção e procurando a melhor configuração para todos da equipe. Além disso, dirijo os testes de elenco e seleciono os perfis para aprovação do Diretor e também acompanho os ensaios. Na ausência do mesmo, devo dirigir para que tudo aconteça como o planejado”, explica a jovem sobre o dia-a-dia do seu trabalho.

Graduada em Artes Visuais pela Universidade Federal do Paraná, Curitiba, a garota, apesar da pouca idade, tem uma bela folha corrida de serviços prestados: fez estágio no longa-metragem “Feliz Natal”, com direção de Selton Mello (seu primo de 2º grau), foi assistente de direção de arte no longa “Bróder”, que deve sair logo nas telonas e, em Curitiba, trabalha com a produção de comerciais para a TV, vídeos e curtas-metragens.

Renato Macedo, 23 anos, vivendo seu personagem Borrachinha, no filme “O Palhaço”.
Renato Macedo, 23 anos, vivendo seu personagem Borrachinha, no filme “O Palhaço”.

A oportunidade de trabalhar fora e assinar grandes produções artísticas se deve a um contato com o primo Selton Mello. “Conversando com o Selton sobre minha dificuldade em encontrar referencial teórico para meu trabalho monográfico, ele me disse que iria iniciar as filmagens de Feliz Natal e que poderia me passar o contato da diretora de arte do filme dele. Depois de uma semana já estava no Rio, sem saber ao certo o que me esperava, na tentativa de entender da melhor forma aquele assunto misterioso sobre o qual tinha me proposto a escrever”, conta Magda.

Como assistente de direção, a jovem produziu trabalhos muito bacanas como por exemplo, o filme filantrópico sobre pedofilia, ”Sombra na Alma”, além de muitos outros. Em publicidade ela é “freela” e já fez filmes de veiculação nacional, como filmetes para Banco do Brasil e Anatel, além de outros regionais como CTBC, Plaenge,  Influx, Lojas Salfer,  Lupaluna, Shopping Mueller Joinville, Midway Mall,  Lojas Rio Center, Shopping Jardins, Las Palmas,  Health & Residence Club, Supermercados Condor,  Shopping Palladium e alguns filmes para a Prefeitura de Curitiba.

“Sempre vivi no meio da arte e do artesanato e sempre trabalhei e procurei me informar sobre como as coisas são feitas. Para mim é bastante natural; é um meio onde precisamos saber trabalhar em equipe ao mesmo tempo em que devemos respeitar a função de cada um e sermos responsáveis pela nossa.

Diferente para mim é qualquer outro meio que não esse”, diz Magda explicando o motivo de gostar tanto desse universo amplo e complexo que é a arte.

A garota retornou à Passos para ficar um tempo mais perto da família e se cuidar já que espera um bebê que nasce no final deste ano. Mas diz que em breve retorna aos grandes centros. “Infelizmente aqui o meu campo de trabalho é pequeno e eu preciso trabalhar, não vejo muitos estímulos para esse meio aqui – nem para o meio artístico, acadêmico, teórico, histórico, de pesquisa e criação, nem para o artesanato, com suas manifestações culturais e históricas”, diz Magda.

Conforme observou, toda Secretaria de Cultura tem verba que deveria ser destinada para a realização de projetos envolvendo arte e artesanato, um incentivo à cultura, mas na cidade não há divulgação e ninguém procura saber ou se dispõe a desenvolver. “A Arte carrega a história de um povo, e isso é muito preocupante”, comentou Magda.

Magda (a esq.) passando o texto com o ator Alexandre Borges para iniciar a gravação de um comercial.
Magda (a esq.) passando o texto com o ator Alexandre Borges para iniciar a gravação de um comercial.

“Ainda não caiu a ficha”, diz o ator descoberto por Selton Mello.

Em Passos, vários são os exemplos de jovens que despontam no universo artístico. Mas quando a força vem do alto é melhor ainda. É o caso do estudante de 23 anos, Renato Macedo, que foi convidado por Selton Mello para fazer testes para o seu novo longa-metragem “O Palhaço”, que sai em março ou abril de 2011 nos melhores cinemas do País.

No filme, Renato é Borrachinha, filho de Dona Zaira, personagem vivida pela atriz Teuda Bara. Seu personagem faz parte da trupe do Circo Esperança e faz de tudo um pouco: é assistente de picadeiro, faz iluminação do espetáculo e mais alguns números que segundo Renato, ele não vai contar para não perder a graça. “Trabalhar com um elenco tão fera, tendo eu pouca experiência foi um desafio e tanto, mas ao mesmo tempo foi tranquilo devido ao método de trabalho do Selton. Ele é genial. Vivi um sonho e estou ansioso para ver o filme nas telonas”, diz Renato.

O encontro do jovem com Selton Mello aconteceu no ano passado, quando Selton esteve em Passos participando da “Semana de Cinema” que envolvia seu nome. Conforme Renato, Selton tinha assistido um vídeo experimental que ele fez em 2006 com Babe Grilo. “Conversamos nos dias em que ele esteve aqui e depois de algum tempo ele me convidou para participar dos testes no Rio de Janeiro. Fui e passei na seleção. Foi maravilhoso, me sinto um privilegiado em trabalhar com grandes artistas. Às vezes acho que a ficha não caiu e paro e penso: nossa, contracenei com o Selton, com o Paulo José, Teuda Bara, Jackson Antunes… isso é sensacional para mim!”, conta Renato.

Renato Macedo e o “padrinho” Selton Mello.
Renato Macedo e o “padrinho” Selton Mello.

Renato, que despertou para as Artes Cênicas em 2004 participando de uma oficina de Teatro com Chiquinho Negrão, diz que humildade e senso crítico são fundamentais nesta profissão. “É muito difícil dar dicas, porque estou apenas começando e tenho muito o que aprender, mas acredito que cada um tem a sua maneira de adquirir conhecimento e autoconhecimento, de aprender a aprender. Acho que a gente tem que seguir os próprios sonhos e deixar o resto com o andar de cima”, comenta Renato.

“O Palhaço” conta história de artista de circo em crise. “O Palhaço” trata de forma divertida, mas também profunda, a crise de identidade de um artista de circo que acha que perdeu a graça e passa a questionar sua vocação. As rodagens aconteceram em Paulínia(SP) e Ibitipoca(MG). O ator e diretor Selton Mello, que também assina o roteiro, divide a cena com o veterano Paulo José. No filme, Selton e Paulo são filho e pai e formam a dupla de palhaços Pangaré e Puro Sangue.
“O Palhaço” conta história de artista de circo em crise. “O Palhaço” trata de forma divertida, mas também profunda, a crise de identidade de um artista de circo que acha que perdeu a graça e passa a questionar sua vocação. As rodagens aconteceram em Paulínia(SP) e Ibitipoca(MG). O ator e diretor Selton Mello, que também assina o roteiro, divide a cena com o veterano Paulo José. No filme, Selton e Paulo são filho e pai e formam a dupla de palhaços Pangaré e Puro Sangue.
Renato Macedo e o padrinho Selton Mello.

© Copyright 2013 Foco Magazine

by Mediaplus